quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Meu roteiro de instalação do Ubuntu 10.10 Maverick Meerkat

Introdução

Este artigo descreve o roteiro de atualização dos meus computadores pessoais com o Ubuntu 10.10 Karmic Meerkat. Edições anteriores deste artigo cobriram as versões 9.04, 9.10 e 10.04. Eu costumo usar muitos aplicativos além da instalação padrão, seja para uso particular, para testar ou mesmo para usar nas aulas que ministro. Assim, a cada seis meses, quando sai uma versão nova do Ubuntu, costumo fazer uma reinstalação completa dos meus computadores. Atualmente, utilizo um notebook pra uso no trabalho e outro em casa, pra família. Eu também costumo adaptar esses computadores ao meu gosto, e sempre que os reinstalo, preciso sair à procura das modificações que havia feito. Além disso, auxilio muitos colegas e alunos a instalarem o Ubuntu em seus computadores.

Sendo assim, resolvi anotar cuidadosamente cada modificação feita após a instalação padrão. Este roteiro foi criado pensando nas minhas necessidades, mas pode ser adaptado para satisfazer outras pessoas. Percebi também que a cada versão nova do Ubuntu, algumas configurações que eu fazia antes, passaram a vir por padrão nele. Quem sabe, no futuro, este roteiro se reduza apenas a uma lista de aplicativos a serem instalados. Nessa versão, existem novamente algumas modificações importantes em relação a versão anterior.

Tentei deixar as dicas curtas. Se você cosiderar alguma dica incompleta, entre em contato, que eu tentarei explicar melhor. Para correções a fazer ou outras configurações a sugerir, envie um comentário. Terei prazer em ler e responder.

Executando a instalação padrão

Não vou descrever a instalação padrão. Pra baixar, acesse este artigo. Recomendo deixar uma partição de cerca de 25 GB pro sistema (rais ou "/"), uma de troca (swap) do tamanho da sua RAM e uma partição de dados separada (se você tem dual boot com Windows, deixe a partição de dados com NTFS ou FAT32), mapeada na instalção para "/dados". A instalação pelo pen drive é muita mais rápida do que pelo CD. Recomendo deixar um pen drive de 1 GB só pra isso.

O processo de instalação mudou, ficou mais rápido, pois agora você particiona o disco e instala primeiro. Durante o processo de cópia dos arquivos, o sistema pede as informações de leiaute de teclado, idioma, usuario, senha e etc.

Outras dicas de pós-instalação podem ser encontradas aqui.

Configurando a placa de vídeo Sis 671/771

Existem muitos notebooks atuais que utilizem o controlador de vídeo SIS 671/771. É o caso do meu uso um notebook Positivo, assim como de vários modelos da SIM+, CCE, Philco e etc. Para verificar se você possui este modelo, abra um terminal e digite ou copie o seguinte comando:

lspci  |grep VGA

Se o resultado for como o abaixo, você possui este chipset:

01:00.0 VGA compatible controller: Silicon Integrated Systems [SiS] 771/671 PCIE VGA Display Adapter (rev 10)

O driver mudou novamente, em relação às versões anteriores do Ubuntu, mas já existe uma versão funcionando. A dica de instalação está aqui. Basicamente, a dica envolve:
  • Baixar o módulo
  • Copiar o módulo para a pasta /usr/lib/xorg/modules/drivers
  • Baixar o arquivo de configuração xorg.conf
  • Copiar este arquivo para a pasta /etc/X11/
  • Instalar o pacote sisctrl, para configurar o vídeo (necessário para ligar em projetores, e etc.)
Reinstalando o aptitude

O pacote aptitude foi removido para economizar espaço na instalação padrão. Para reinstalá-lo, execute o seguinte comando:

sudo apt-get install aptitude

Atualizando o sistema

Para gerar a lista de repositórios, e poder instalar todos os pacotes que utilizo, estou utilizando o Ubuntu Source List Generator. Nele, você define o país e os repositórios desejados e ele cria um arquivo sources.list. Você precisa substituir o conteúdo do seu arquivo sources.list original por este novo conteúdo. Pra fazer isso, abra um terminal ou digite Alt+F2 (executar aplicação) e digite (ou cole) o seguinte comando:

gksu gedit /etc/apt/sources.list

Remova todo o conteúdo do arquivo e substitua por aquele gerado no site. Depois de criada a nova lista de repositórios, atualize o sistema. Em um terminal, digite:

sudo aptitude update && sudo aptitude full-upgrade -y

Isto fará com que seus sistema seja atualizado com a versão mais nova dos pacotes. Ele deve baixar e atualizar algumas centenas de megabytes, dependendo da data da instalação.

A título de exemplo, este é meu arquivo sources.list gerado.

A partir desse ponto, você pode instalar outros programas, fontes, drivers, codecs e tudo mais.

Instalando o pacote ubuntu-restricted-extras

O pacote ubuntu-restricted-extras instala uma série de codecs, aplicativos, fontes e drivers que possuem algum tipo de restrição e que por isso não fazem parte da instalação padrão. Entre eles, podemos citar: Máquina virtual Java (usada por sites de bancos, por exemplo) flash (sem ele, muitos vídeos do Youtube não funcionam) fontes True Type (do Windows), codecs de áudio e vídeo (wmv, divx, mp3, rmvb, etc.) e outros. Para instalar este pacote, digite num terminal:

sudo aptitude install ubuntu-restricted-extras

Instalando vários aplicativos de uma vez

O Ubuntu vem com um desktop corporativo padrão, mas eu sinto falta de várias aplicações. Não vou explicar pra que serve cada pacote, mas não é difícil descobrir. Instale todos os pacotes, experimente e crie a sua lista. Se não gostar, é só remover depois:

sudo aptitude install acroread amule audacious awn-manager cheese chromium-browser-l10n devede funcoeszz geany gedit-plugins gnome-do gnome-do-plugins gnome-mplayer gparted gstreamer0.10-lame htop ipython  libdvdcss2 meld mousepad mplayer nautilus-dropbox nautilus-gksu nautilus-open-terminal openoffice.org-l10n-pt-br picasa pidgin pyrenamer python3-minimal skype startupmanager sun-java6-jre traceroute ubuntu-restricted-extras vim vlc w32codecs xchat

Uma lista adicional de pacotes:

sudo aptitude install bpython gcompris-sound-ptbr ktuberling openssh-server tuxmath tuxpaint tuxpaint-plugins virtualbox wireshark

Este processo exige uma conexão com a Internet, e deve baixar centenas de megabytes, levando algum tempo para ser executado.

Configurando o ambiente de trabalho

Em meu ambiente de trabalho, mantenho apenas uma barra superior, e elimino a barra inferior que vem por padrão. Tenho experimentado usar um dock (o AWN) e não tenho usado a lista de janelas). Minha configuração é a seguinte:

- Retirar:
  • Ícone de Help e Firefox
  • Menu Gnome Padrão
- Adicionar:
  • Menu Principal do Gnome (reduzido)
  • Alternador de espaços de trabalho
  • Monitor do sistema
  • Lista de Janelas (opcional)
- Retirar barra inferior
- Habilitar efeitos (se posssível)
- Clicar no ícone da carta, no canto superior direito (Empathy), e configurar o bate-papo (Google Talk e MSN)

Para adicionar os ícones na área de trabalho, abra o gconf-editor, teclando ALT_F2 e digitando: gconf-editor. Vá em Apps, Nautilus, Desktop e habilite as opções, conforme a imagem, ou ao seu critério:


Ainda no gconf-editor, para habilitar os recursos de melhoria de vídeo do metacity para  essa placa, vá em apps, nautilus, metacity, general e habilite a opção compositing_manager.


Com isso, é possível, por exemplo, ativar as transparências em terminais.

No final, fica assim:


Atualização: O papel de parede pode ser baixado daqui.

Instalando o Chromium e suas extensões

Faz um tempo que adotei o Chromium como meu navegador padrão.  Se você fez a instalação dos pacotes recomendada anteriormente, ele já deve estar instalado e disponivel no menu Aplicativos, Internet, Chromium Navegador de Internet. Caso contrário, instale assim:

sudo aptitude install chromium-browser-l10n

Novos funcionalidades podem ser adicionadas ao navegador padrão através de extensões. Eu testei e recomendo as seguintes:


Fonte Ubuntu

A partir dessa versão, o Ubuntu adotou uma nova fonte pro ambiente, a fonte Ubuntu. Configure em Sistema, Preferências, Aparência, Fontes. Aqui, ficou assim:



Configurações de Terminal

Histórico do bash: adicionar em ~/.bashrc:

export HISTSIZE=5000

- Alias: descomentar ou acrescentar as seguintes linhas ao ~/.bashrc:

alias ll='ls -lh' 
alias la='ls -A' 
alias l='ls -CF' 
alias ..='cd ..'

- Adicionar no arquivo ~/.inputrc:

set completion-ignore-case On
"\e[B": history-search-forward
"\e[A": history-search-backward


Criar links simbólicos para pastas

Padrão: ln -s destino

Atenção: a linha a seguir apaga a pasta /usr/local/bin e todo o seu conteúdo. No meu caso, ela está vazia. É importante verificar antes.

sudo rm -Rf /usr/local/bin && ln -s /dados/Dropbox/downloads/scripts /usr/local/bin

As linhas a seguir removem as pastas de documentos da pasta home do usuário e criam atalhos para as mesmas pastas na minha partição de dados:

cd
sudo rm -Rf Documentos Imagens Modelos Música Público Vídeos
ln -s /dados/Dropbox/aulas/ 
ln -s /dados/Imagens/ 
ln -s /dados/Vídeos/ 
ln -s /dados/Vídeos/filmes/ 
ln -s /dados/Músicas/ 
ln -s /dados/series/

Latex

sudo aptitude install texlive texlive-humanities texlive-lang-portuguese babel latex-beamer abntex aspell-pt-br gedit-plugins gedit-latex-plugin rubber texmaker

Páginas de manual (man) coloridas

sudo aptitude install most &&; sudo update-alternatives --config pager

Python

sudo aptitude install ipython bpython python-django python-sqlite python3-minimal  python-scipy

Para configurar o geany para programa em Python, siga este tutorial.

Para instalar o Dreampie, adicione a seguinte linha ao sources.list:

deb http://ppa.launchpad.net/dreampie-devel/ppa/ubuntu maverick main 

e depois instale:

sudo aptitude instal dreampie

IRC

sudo aptitude install xchat

- Modificar encoding para utf-8
- Usar fonte Ubuntu
- Ir em Configurações - Preferências - Registro e habilitar o registro (logging)

JDownloader

Siga esta dica para instalar o JDownloader.

Minitube

sudo add-apt-repository ppa:ferramroberto/minitube
sudo apt-get update && sudo apt-get install minitube

Conclusão

O Ubuntu tem amadurecido a cada versão e se tornado uma realidade com sistema de desktop. A instalação padrão atende a um bom conjunto de requisitos e mesmo o Live CD já é utilizável. A maior dificuldade inicial fica por conta da falta de codecs de áudio e vídeo, máquina virtual Java e plugins Flash, instalados através do pacote ubuntu-restricted-extras. Após a configuração dos repositórios e tendo uma conexão com a Internet, tem-se a disposição uma enorme quantidade de aplicativos, permitindo que cada usuário ou organização tenha a sua própria distribuição Linux customizada.

O destaque dessa versão foi a nova fonte Ubuntu, muito bonita. Com o uso dela no Chromium em todas as páginas web, e em diversos aplicativos, consegui um ambiente bem padronizado. O sistema de notificação também melhorou e a união do Rythmbox ao menu de som ficou muito boa.

Artigos relacionados:
Postar um comentário